Equitação moderna X equitação antiga

Hoje me deparei com uma foto rodando meu FACEBOOK que mostrava uma foto de antigamente e outra de hoje em dia, as duas saltando, esta foto ao lado. O comentário em inglês pedia para que as pessoas deixassem suas opiniões sobre a imagem! Isso me faz voltar a um …

velho assunto que sempre coloco em pauta quando se diz do hipismo atual. Há muita procura, muitos centros hípicos, muitos treinadores e este mercado gira bilhões todos os anos. Mas será que todos estão realmente capacitados no que estão fazendo?

A venda de cavalos caríssimos virou padrão para quem quer pular alto “rápido” como a troca dos mesmos também. A meu ver as pessoas não aprendem mais técnica e sim, pagam para ter cavalos que os façam ganhar, e quando isso para de acontecer, simplesmente substituem.

Não há mais aquela atenção minuciosa na base para que tudo fique perfeito, há sim uma necessidade de adiantar o aluno a pular provas para “mostrar resultados” e poder empurrar um cavalo substituível e pegar a “comissão”. Hoje como a foto pode nos mostrar, a postura pouco importa com tanto que esteja ganhando, basta colocar uma “embocadura mais forte” e o cavalo está na mão!

Ai como sinto falta dos tempos antigos, onde o aluno sabia o que era diagonal do trote, todos eram capazes de controlar um cavalo… e a postura… se ficasse errado tínhamos um cabo de vassoura amarrado nas costas, os estribos amarrados e aí se não aprendesse. Prova os treinadores só deixavam participar se ao mínimo conseguíssemos fazer uma mudança de mão no galope!!! Falo isso pois hoje vejo conjuntos serem “campeões” sem nem saber o que é isso.

A pior parte é que o “atleta” não tem muita culpa disso, foi o que lhe foi imposto hoje, nosso grande problema é instrutores sem formação, conhecimento de base, ou instrutores mais interessados em lucrar do que formar verdadeiros cavaleiros. Deveríamos colocar o pé no freio e voltar para as bases, começar nossos alunos no adestramento, tendo um bom controle do animal, uma boa postura e o principal equilíbrio.

Estamos formando atletas acomodados e convencidos, todos acham que são capazes de tudo, até pegar um animal de verdade que exige técnica e quando isso acontece… ou desistem ou colocam a culpa no animal que “não presta”. Agora até quando?

Sei que ainda existem poucos por aí que se importam, ensinam corretamente e exigem de seus alunos. Um conselho… procurem eles. Também sei que na hora de uma competição, quando algo dá errado, vale de tudo para conseguir se safar, mas que isso não vire regra!

Conhecimento e técnica são as partes essenciais para um bom atleta, mas isso leva dedicação e tempo. Para chegar ao topo da maneira correta leva muitos e muitos anos, mas quando chega, não sai mais.

 

Thaty Vidal
Spur

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.