Iskar Itapuã (Queen)

Iskar Itapuã (Queen)

 

Domingo de páscoa, lá fomos para a fazenda Itapuã, eu e minha aluna. Chegando lá, vários cavalos nos esperando. Experimentamos alguns e logo decidimos por uma égua. Após a decisão fomos dar uma olhada nos cavalos soltos só para ter uma idéia do que mais tinha na fazenda. Nesta hora minha aluna começou a namorar uma égua tordilha, não agüentou e pediu para pegá-la para ver!

 

Iskar Itapuã (Queen)

– Andaluz Brasileiro (certificado de reprodutora da raça)

– Xapury com Apore Itapuã

– 14/10/2007

Esta égua tinha pouco mais de 1 semana de doma e não era aconselhável montarmos naquela ocasião, mesmo assim pedimos para vê-la em liberdade e não é que foi amor a primeira vista.

Saímos da fazenda certos de que o cavalo escolhido seria o primeiro, mas durante a volta… tudo mudou, minha aluna resolveu que queria a égua tordilha e não havia quem tirasse isso da cabeça!

 

15 dias depois lá chegam as duas éguas Iskar e Formosa (mas esta já é outra historia), como a égua escolhida estava recém domada, achamos mais prudente trazer as duas para que a mudança não fosse muito grande!

Era um livro em branco, tínhamos que começar a escrever, colocar ferradura, acostumar com baia, cabresto, pessoas, pista, ducha… Tudo era uma grande novidade!!

Começamos a montar, nem para frente ia direito, galopar só para um lado, juntar na cerca nem pensar, outro cavalo na pista (hora de fugir!), exterior (nem morta!)… Vamos iniciar os trabalhos de cavalete e vara (hahaha…) e lá estamos, montando todos os dias. Muito trabalho e paciência, mas sem bater, só calma e compreensão, aos poucos em casa as coisas foram normalizando, começamos a conseguir fazer pistas, as varas já não davam mais medo, o galope já saia para os dois lados, mas a cerca…

 

 

Ai também tínhamos que acostumar a égua com a dona, não vamos dizer que foi simples… alguns coices, empinadas, corcoves e a dona no chão! Mas nada de desistir ou bater, com calma tudo se acerta.

 

Chegou a hora de iniciar em provas, lá fomos nós e cadê a égua? Descobrimos que ela não entrou no caminhão nem com reza braba! Tentaram de tudo, mas nada, ai tiveram que deixá-la, pois iria atrasar os outros animais, Ok. Segunda tentativa de prova, desta vez entrou no caminhão, mas a prova era em picadeiro coberto, padoque não existiu, mal entrou na pista, e parou no 1. Ok tentando de novo e parou no 2!

Terceira tentativa, caminhão Ok, pista aberta, padoque mais ou menos e parou no 1, mas depois, pista linda, desencantou, mas ainda com muito medo!

Quarta tentativa, caminhão ok, padoque corcoves, pista aberta e foi, 6 lugar. Orgulhosa!

 

Esta água vai dar um excelente cavalo, ainda há muito que fazer, é muito grande e assustada, mas com calma e paciência tudo vai. Já começou a se acostumar com a dona e formam um ótimo conjunto. Tenho muita sorte de poder ter iniciado este trabalho e poder começar a colher os resultados, agora é a hora que terei que deixá-la seguir seu caminho com sua dona, mas vou acompanhá-la de longe sempre e torço pelo seu sucesso!!! 

AryBotasThaty VidalSpurWorkshop equestre