Impossível ou improvável?

Às vezes as pessoas são diagnosticadas equivocadamente. São condenadas a algo que não querem.  Pré julgam alguém, ao invés de incentivar.

Esquecem que a força de vontade move montanhas. Que apenas um incentivo faz com que as pessoas consigam vencer suas limitações e suas barreiras.

Lá vem mais uma historia de uma de minhas alunas, desta vez vou falar da Natalie. 

Ela teve um incidente quando bebe e ficou com 1/3 de paralisia. Condenada a nunca poder fazer nada ela não se conformou. Começou com a equoterapia, se  apaixonou por cavalos. Na infância fez salto, foi convidada para o hipismo para equestre e  ficou parada, agora resolveu voltar.

Nos conhecemos este ano de 2015, ela querendo voltar a saltar. A principio, fiquei um pouco apreensiva com a novidade. Nas primeiras aulas tivemos algumas dificuldades para encaixar o animal, os equipamentos e com o seu próprio fôlego, mas com o tempo fomos nos acertando. Quanto ao material fomos fazendo adaptações para que lhe dessem mais segurança e estabilidade. Já  o fôlego, ela trabalhando a semana toda, com vários exercícios para que o hipismo torne-se mais “fácil”. Já o cavalo, achamos um que aceite ser comandado com apenas uma mão e com um galope bem interessante.

Com todos os ajustes finalmente ela voltou a saltar. E agora estamos pensando em uma provinha para começo de maio.

Com a Natalie aprendi que nada é impossível, basta ter força de vontade e isso é o que ela mais tem. É empolgante a energia positiva que ela passa para as pessoas, é uma pessoa radiante que contagia todos que estão em volta. Ela me mostrou que com paciência e técnica não há obstáculos que não possam ser vencidos.

Natalie, obrigada por fazer parte da minha “equipe” e me mostrar que não importa as dificuldades que a vida lhe impõe, que com dedicação e força de vontade da para chegar onde os seus sonhos desejam! Você é a inspiração de muita gente.

Segue o depoimento desta pessoa  especial;

O meu primeiro contato com cavalo  foi através da equoterapia, onde o único objetivo era fazer exercícios físicos. Mal sabiam as pessoas que isso se tornaria uma paixão para a vida toda. Tinha uma casa em um condomínio e lá havia uma hípica, onde conheci meu primeiro professor de hipismo, lembro que quando sugeriu que eu fizesse aulas, minha mãe achou que eu era louca, falou para o meu pai "não inventa", mas insisti e o Esdra (meu professor na época) disse para eles ficarem tranqüilos, que tudo iria dar certo, dito e feito, saltava em Atibaia, cheguei a competir com obstáculos de 1 metro, para alguns pode parecer baixo, mas para mim com todos os desafios era como se fossem 3 metros rsrs. Cada vez que entrava na pista, minha mãe se escondia de tanta aflição, mas quando acabava e tudo estava bem era abraço gostoso e cheio de orgulho.

Em uma determinada competição, uma pessoa que estava assistindo, abordou meu pai, perguntando por que nós não entravamos em contato com a Gabrielle, pois segundo ele eu teria potencial para as paraolimpíadas, lá fomos nós para a segunda etapa desse amor. Agora era pra valer, a responsabilidade era grande, fiz uma avaliação e começamos os treinos constantes e diários, muitas vezes duas vezes por dia, veio o campeonato paulista, brasileiro, sul-americano e finalmente o mundial realizado na Bélgica, éramos um time, eu, a Gabi e o Dani (outro atleta), cresci e as necessidades mudaram.

Precisei trabalhar, faculdade, casei e já não era mais tão fácil treinar com dedicação necessária, a paixão continuou e de um jeito ou outro, sempre estava perto desses amigos de 4 patas e 600 quilos, um dia falei para meu marido que queria voltar a montar, como sou chata cheguei para ele, com o endereço e horário da aula marcada, afinal encontrei na internet uma tal de Thaty Vidal rsrs, fui conhecer e foi empatia a primeira vista! A primeira aula foi inesquecível, com chuva, mas não estava nem ai, fui para a pista mesmo assim, acho que nesse momento a Thaty deve ter pensado, que doida eu sou, trabalhamos muito e achamos as adaptações necessárias, estamos indo em busca de desafios grandes alturas e muitas provas, mas acima de tudo estar com ela e a turma é pura diversão.

Ps; Hoje ela me ajuda com algumas aulas e nos divertimos bastante!!!

Thaty VidalSpurAryBotasWorkshop equestre