XIV COPA SANTO AMARO (VIII Etapa) – Meu pai… meu aluno…

XIV COPA SANTO AMARO (VIII Etapa) – Meu pai… meu aluno…

No domingo dia 30 de outubro… Meu pai resolveu, depois de três anos, que iria voltar a competir. Depois de muito conversar, convenci a começar em 0,60 cm, para pegar pista e tudo mais.

Lá fomos nós… Já chegamos 15 minutos atrasados para o reconhecimento… A pista estava alagada… Toda cheia de lama, só deu para dar uma volta (ficamos sujos!!!)… Logo bateu o sino de pista fechada. Tive que correr ao jure, pois o nome dele não constava na ordem, fizeram um encaixe e ele foi para o número quatro da ordem!!!

Corremos para pegar o Vergano (que geralmente é um cavalo super calmo, tranqüilo), chegamos lá ele tava super pilhado, relinchando… Foi difícil, mas meu pai conseguiu subir. Daí, mais uns 5 minutos para que ele conseguisse dar uma acalmada e ir para o padoque.

No padoque, o Vergano não parava de relinchar, todo armado, se achando o dono do pedaço. Meu pai nervoso com a reação dele, mas ao perceber que ele não estava nem corcoveando e empinando, ficou mais tranqüilo e por algum milagre fez o melhor padoque dele até hoje (não vou comentar os anteriores… hahahaha…).

 

Os dois entraram na pista… Já fazia mais de três anos que nenhum dos dois pulava prova… Foram até o meio da pista, começaram a galopar e… Cadê o 1? Sem comentários…

Vamos de novo, lá foram eles… Deram um laço e borá pro número 1… Ai pareceu que eles engrenaram… Só pareceu… Depois de ir até o 8 bem, eles começaram a galopar, galopar, galopar… e o 9? De repente eles lembraram, depois de uma “volta” entraram todo enviesados e terminaram a pista!!! Só rindo mesmo…

Ai eu perguntei… “Pai e o 9?” ele me responde: “Ah… mas o Vergano estava galopando tão gostoso que, por mim, tinha deixado galopar a pista toda”, deixei quieto e nem perguntei do número 1… hahahaha…

Depois da prova deles, quando estávamos esperando a minha, escutamos um cavalo relinchando direto, um relincho conhecido… O Vergano. Até ai… tranqüilo… Mas, depois de uns 15 minutos escutamos uma bagunça… correria de tratadores… um cavalo tinha quebrado a baia e escapado… o Vergano… Hahahaha… Vamos lembrar que ele não é nenhum um pouco pequeno, quase 600 quilos, e para manter a paz, onde os cavalos estavam amarrados, tivemos que levar o Vergano para outro lugar. Neste dia ele estava de “poucos amigos”, ou melhor, tinham muitas éguas, quem sabe estava em busca de uma amiga…

Agora depois de tudo isso… Acho que todos já sabem qual vai ser a próxima prova deles… Hahahaha… 0,60cm… De novo!!!  

Workshop equestreSpurThaty VidalAryBotas